Bem-vindo à Paraíba - Cordel de Francisco Diniz
Literatura de Cordel
www.projetocordel.com.br

BEM-VINDO À PARAÍBA
Autor:
Francisco Diniz
João Pessoa-PB, 24 de outubro de 2004
Capa: Leontino Quirino - Santa Helena-PB

_________________________________________
Site: www.projetocordel.com.br.com.br
E-mail: literaturadecordel@bol.com.br




Aqui você ouve Bem-vindo à Paraíba, excertos do cordel transformados em música em 2006.
__________________________________

Bem-vindo à Paraíba
Terra berço do cordel,
Que é poesia popular,
Expressão de menestrel,
Que fala e canta ao povo
O antigo ou canto novo,
Vê este chão tal como um céu.

Aqui desfrutas do mel
Que não terás noutro lugar,
Pois a abelha prova a flor
Do melhor cheiro que há
Para em seguida produzir
O que podemos deglutir
Para a saúde alcançar.

Bem-vindo, vim desejar,
À capital João Pessoa
Onde o ar é bem mais puro
E o pássaro melhor voa
Numa cidade arborizada
Atualmente situada
Num lugar bem lá na proa.

Aqui todas as pessoas
Têm o orgulho de dizer:
Somos o lugar mais verde
Do Brasil e podes crer,
No mundo nós só perdemos
Pra Paris que bem sabemos
Civilizações viu nascer.

Pra esta condição ter
João Pessoa preservou
A Mata do Buraquinho
E o cidadão plantou
Árvore onde bem podia
E com o tempo o mundo via
O que a gente semeou.
-1-

O Buraquinho hoje virou,
Devido à legislação,
O nosso Jardim Botânico.
E caminhando em direção
Ao mar há a Mata do AMEM,
Beleza que traz um bem
A quem lhe faz visitação.

O nosso povo é irmão,
Quem quiser vai comprovar
Ao pedir uma informação
De rua, pessoa ou lugar,
Vai ser bem orientado,
Pois nós somos educados
Para sempre bem tratar.

E eu quero hoje deixar
Um convite a você:
Conheça a Ponta do Seixas,
Onde o sol prima a nascer,
É ponto mais oriental
Da América, é magistral,
É maravilha de se ver.

Convido-o a conhecer
A Praia do Jacaré,
Cujo pôr do sol é belo
E encanta a quem quer
Ouvir de um menestrel
O Bolero de Ravel
Num barco lá na maré.

Para o católico de fé,
Igrejas monumentais
Como São Pedro Gonçalves
E divinos cartões postais:
Neves, do Carmo, São Bento,
São Francisco, são assentos
Registrados nos anais...
-2-

Da história e como tais,
O Hotel Globo, o Varadouro
Com o seu Centro Histórico,
Valioso como ouro
E o Porto do Capim,
O Sanhauá que é enfim
O rio, primeiro tesouro.

Diversos são os logradouros
Que se pode apreciar:
O Theatro Santa Roza,
Palco a apresentar
O que mais temos de bom,
A cultura, que é um dom
De quem ousa a criar.

A grandeza de um mar
Limpo, belo, cuja brisa,
Enamora os casais
E até parece que avisa:
Ouça a canção nos bares,
Valorize nossos ares,
A vida não se reprisa.

Toda nossa gente visa
Por certo contribuir
Pra divulgar Tambaú,
Cabo Branco e daqui
São as praias mais famosas
Cujas águas são gostosas
Pra banhar quem vem aqui.

É comum a gente sentir
Alegria e emoção
No belo Hotel Tambaú,
No Mercado do Artesão,
Nas barracas, na areia
Pra degustar uma ceia,
Frente ao mar e a sua imensidão.
-3-

No Centro Turístico há ação
Corrente de informar
As atrações principais
Que na Paraíba há,
Aqui apenas cito algumas
E garanto que nenhuma
Irá decepcionar.

Faça o favor de visitar
O Espaço Cultural,
Arquitetura moderna,
É como um grande mural
Com teatro, planetário,
Palco de show, um berçário
Da arte antiga ou atual.

De maneira informal
Faça uma viagem de trem,
De Santa Rita se vai
A Cabedelo onde tem
Um porto e uma grande colina -
O Forte Santa Catarina -
Que sua beleza mantém.

Você poderá também
Ver a Bica ou em barco ir
Conhecer nossas piscinas
Lá no mar e então sentir
A beleza de Picãozinho,
Contemplar os seus peixinhos,
Se encantar e sorrir.

Tem Areia Vermelha aqui,
A Praça dos Três Poderes,
Hospede-se numa pousada,
Nossa água dá prazeres
E quem bebe dessa fonte
Cruzará a nossa ponte,
Voltará diversas vezes.
-4-

Prestigie as nossa reses
Num parque de vaquejada,
Escute um repentista,
Sorria numa embolada,
Vá a um parque de exposição
Ver o arremate em leilão
De uma criação bem cuidada.

Prove a nossa peixada,
Deguste a carne de bode,
Dance com as Muriçocas,
Que é um bloco que hoje pode
Não ser o maior do mundo,
Mas em menos de um segundo
Pega a tristeza e a explode.

O forró é o nosso pagode,
O autêntico pé-de-serra.
A cerâmica, o artesanato
Divulgam a nossa terra.
Conheça a Micarande,
Vá até Campina Grande
Situada em meio à serra.

Seu caminho ninguém erra
Tem o maior São João do Mundo,
Trinta dias de forró
E quem de lá é oriundo
Comentará com prazer:
- Eu fui lá e vim dizer,
É um belo poço profundo.

É sim, um lugar fecundo
Em pesquisa, computação,
Tem um parque tecnológico
Que orgulha a nação;
Lá a EMBRAPA inventou,
Depois que muito estudou,
O colorido algodão.
-5-

E partindo pro sertão,
A morada do sol é Patos
Onde a Cruz da Menina
É turismo e de fato
Representa a fé do povo,
Que a cada ano novo
Mostra a Deus que é sempre grato.

Vá à Sousa, entre em contato
Com um legado mundial,
As pegadas dos dinossauros
Num vale, que é cabedal,
Poço de cultura e ciência,
A pura remanescência
Do gigante animal.

Cajazeiras, cultural,
"A terra que ensinou
A Paraíba a ler"
Esta expressão ficou
Em toda parte conhecida,
É uma gente comprometida
Com o saber e com o labor.

Sempre que você for
Ao sertão, faça uma visita
Ao Hotel Brejo das Freiras,
Que tem paisagem bonita,
Campo de aviação,
Águas termais com função
De curar a quem acredita.

Há belezas infinitas
Em todo o nosso lugar
Desde a Pedra da Boca
Em Araruna e há
Uma pedra importante
De uma era muito distante
Situada em Ingá.
-6-

No Brejo, Areia é lar,
Uma cidade histórica.
Na Paraíba existem
Museus de uma gente heróica,
Escritores de primeira,
Uma população ordeira
No agir e na retórica.

A macaxeira é calórica,
É saudável o abacaxi,
Bem como a água de coco
E a rapadura daqui
É exportada toda semana;
E quem prova o caldo de cana
Terá saudade ao partir.

Por isso vim te pedir
Conheça a terra de Zé,
Zé Lins, Zé Américo, Ramalho,
Só que aqui também é
Do ás, Jackson do Pandeiro,
De Vital, o violeiro,
Chico César e Vandré.

Paraíba é mulher
Com fama de valentia,
Mas sua coragem maior
É expressa na poesia
De um Augusto dos Anjos,
De um anônimo Arcanjo
E na rica melodia

Cuja letra tem a harmonia
Do "Meu Sublime Torrão",
Tocada desde Tambaba
À Santa Helena, sertão.
Temos arte de qualidade
Só falta oportunidade
Para a divulgação.
-7-

Ouça a boa canção
Que vem desde os Tabajara,
Dos Tapuias e da tribo
Corajosa Potiguara,
Dos herdeiros dos quilombos
Que tocavam com seu bombo
O que o Cabroeira usara.

Kátia de França cantara
Nosso belo litoral;
Marinês canta o sertão;
Elba, o bem contra o mal,
Exemplos de nossa gente,
Cultura sempre presente
Que tem do povo o aval.

Este povo é coral
Que se apresenta afinado
Cantarolando belezas,
Riquezas e um legado
De luta e resistência
Contra a miséria e a indecência
Que Ariano tem falado.

Quem vem aqui é amado
E com certeza irá escutar:
- Volte sempre a este chão,
A Paraíba é seu lugar!
Assim nosso povo diz,
Tenha paz, seja feliz
Foi bom poder lhe encontrar.

Leve daqui um exemplar
De folheto, que é invenção
De Leandro Gomes de Barros,
De Pombal, lá no sertão;
Leve de lembrança um cordel
E colabore com o papel
De preservar uma tradição.
-8-
FIM

Francisco Diniz
João Pessoa-PB, 24 de outubro de 2004
_________________________________________________________________


Show de Francisco Diniz na Livraria O Sebo Cultural
João Pessoa, em 22.03.2012, as 19:00h.




Vídeo: Bem-vindo à Paraíba


--------------------------------------------------------------------------------------------------------

_________________________________________
Site: www.projetocordel.com.br.com.br
E-mail: literaturadecordel@bol.com.br