Eleição para Diretor


Propostas para a administração do
Instituto São Marcus 2005/2006
CHAPA 2 - Naide Maria Costa Moura & Francisco Diniz

Pais, alunos, professores,
Auxiliar, secretários,
Todos funcionários,
Do vigia aos diretores
São os grandes promotores
Da nossa democracia,
Da escola hoje em dia,
Aqui vimos convidar
Nós poderemos votar,
Exercer a cidadania.

Dia 28, janeiro
Do ano 2005,
Poderemos com afinco
E com respeito, primeiro
Fazer um pleito ordeiro,
No São Marcus escolher
Diretores que irão ter
Uma oportunidade
E a responsabilidade
De uma nova escola fazer.
-1-

O convite é sem demora,
Participe da eleição,
Sexta-feira há votação
Das 8 as 17 horas,
O momento é agora
Não vamos desperdiçar
A chance de indicar
Quem nos próximos dois anos,
Sem desrespeito ou enganos
Do Instituto vai cuidar.

Queremos solicitar,
Vá à escola nesse dia
Sem pressa, sem apatia,
Sem ter medo de errar,
Vote e vamos transformar
O São Marcus num ambiente
Que orgulhe a toda a gente
Que mora em Várzea Nova,
Passemos por essa prova,
Não vamos ficar ausentes.
-2-

O aluno que tiver
10 ou mais anos de idade
Tem a oportunidade
De escolher quem quiser,
De votar em quem tem fé,
Nós pedimos a atenção
Pra nossa proposição
Que ora vimos mostrar,
Queremos implementar
Uma melhor educação.

Nós somos a CHAPA 2
Naide e Francisco Diniz
Por uma escola feliz
Hoje, amanhã e depois,
Lutaremos pelo arroz
E pelo feijão na merenda
E que a escola atenda
A outras necessidades,
Frutas de qualidade
E às verduras se renda.
-3-

Queremos que o agir
Seja o maior combustível,
Vamos fazer o possível
Pro São Marcus conduzir
Sem o descaso permitir.
Vamos nos comprometer
Para a escola obter
Do povo a confiança
E dá ao adulto ou à criança
Boa escola pra aprender.

Lutaremos pra escola
No dia-a-dia cumprir
Horários e com um agir
De quem ensina e não enrola,
Que ela seja a mola
Propulsora do saber
E que nós possamos ver
Com objetividade
Toda a credibilidade
Que uma escola deve ter.
-4-

Vamos estabelecer
Com todos uma relação
Onde a comunicação
Permita oferecer
Condições para o crescer
Da nossa comunidade
Com ética, com eqüidade,
E vamos nos reunir
Mês a mês pra discutir
O que fazer de verdade.

Iremos nos dedicar
Para a implementação
De um sistema de plantão
Onde sempre vai ficar
Um professor pra atuar
Se algum dia por acaso
Acontecer um atraso
Ou se o nosso docente
Falte por estar doente,
Vai haver aula em todo caso.
-5-

Lutar para conseguir
Medidas implementar:
As telhas quentes trocar;
A água de consumir,
Filtrar; e substituir
Ventiladores quebrados
Pra que nosso alunado
Tenha melhor condição
E que no espaço da educação
Seja bem mais respeitado.

Lutar para consertar
A quadra poliesportiva,
Tomar a iniciativa
De buscar realizar
Cursos pra capacitar
Funcionários, estudantes
Pra que num tempo adiante
Aquilo que foi estudado
Possa ser bem aplicado
E lembrado a todo instante.
-6-

Vamos buscar parcerias,
Oficinas realizar:
De violão popular,
Da nossa sabedoria
Como doces, iguarias,
De poesia e teatro,
Dança, artesanato,
Capoeira e cordel,
Reciclagem de papel,
De lixo, pedra e mato.

Na escola promover
Educação ambiental,
A planta medicinal
E também desenvolver
O hábito de sempre ter
O lixo só na lixeira
Para que toda a sujeira
Esteja em seu lugar
Assim vamos vislumbrar
A harmonia da limpeza.
-7-

Iremos nos dedicar
Para a organização
Da nossa Instituição,
Do fardamento escolar
À maneira de tratar.
Queremos ver com freqüência
Respeito com permanência
Em nosso educandário
E que nosso funcionário
Trabalhe com coerência.

Desde já agradecemos
Por saber nossas propostas,
Nós daremos a resposta,
Sério trabalho faremos,
Já provamos que podemos
Com a escola contribuir
E hoje viemos aqui
O seu voto solicitar
Para poder transformar,
Fazer a escola luzir.
-8-

Mas meu amigo leitor
O que aqui vim relatar,
O que quis realizar
Ou no mínimo propor
Na eleição pra diretor
Que houve em Santa Rita
Contando não se acredita,
A nossa democracia
Passou por demagogia
Sofreu golpe populista.

O órgão da educação
Ou seja, a Secretaria
Editou uma portaria
Com a normatização,
As regras da eleição,
E numa delas constava:
Só concorre quem habitava
Nas terras do município,
Era injusto esse princípio,
Quase ninguém o aceitava.
-9-

Anticonstitucional,
Foi o nosso entendimento.
Fizemos um movimento
Com apoio sindical
E na escola municipal
A chapa nós registramos
E a justiça encaminhamos
Pedido para rever
Essa lei, mas para quê?
Se até hoje esperamos!

Senti-me assim à-toa
Minha chapa foi anulada,
A mesma ação foi adotada
A outras tantas pessoas
Que moravam em João Pessoa
E não podia participar
Quem estava a atuar
Então como diretor
E quem se candidatou
Viu sua chapa se anular.
-10-

Foi o que aconteceu
Com a Chapa 1, concorrente,
Foi uma atitude excludente.
A escola ainda recebeu
Mensagem onde se leu:
Faça-se a eleição
Conforme a programação,
Chapa só com candidato
De Santa Rita, de fato,
Se não haverá intervenção.

E como nós não queríamos
Na escola interventor,
Ou seja, um diretor
Que ainda não conhecíamos
E muito menos sabíamos
Como iria trabalhar,
O melhor foi organizar
Uma só chapa, então,
E a sua formação
A seguir vou relatar:
-11-

Lulu aliou-se a Naide
E cumprimos a exigência,
Ambas têm residência
Há tempos nesta cidade.
Seguiu-se a formalidade,
Foi feita a eleição,
E elas com a função,
Agora de diretoras,
Que possam ser as gestoras
Pra imprimir a transformação.

Vai ser uma grande luta,
Mas se a secretaria
Lhes der a autonomia,
Acredito que a labuta
Jamais ficará oculta,
Pois o povo irá ver
A escola estabelecer
Entre nós um outro papel
E escreverei em cordel
Pra todo o mundo saber.
-12-
FIM

Francisco Diniz
João Pessoa-PB, 26 de janeiro de 2005
_________________________________________
Site: www.projetocordel.com.br
E-mail: literaturadecordel@bol.com.br