Minha Mãe Maria, cordel de Denise Braga Toledo Iezzi.
Literatura de Cordel
www.projetocordel.com.br

Minha Mãe Maria
Literatura de Cordel
Autora: Denise Braga Toledo Iezzi - São Bernardo do Campo-SP
Revisão: Cordelista Francisco Diniz - João Pessoa-PB

...............................................................

Eu quero hoje com todos
Dividir e compartilhar
Com emoção e alegria
Este dia festejar
A vida e a existência
De alguém em particular.

Ela se chama Maria
Maria do bem querer
É aquela que fez e faz
Quem feliz a conhecer
Vai pensar na minha sorte,
Filha da Maria eu ser.
(1)

Minha mãe Maria do Carmo
Para vocês que não sabem
Pequena só no tamanho
Grande é sua coragem
Transforma qualquer momento
Em uma grande homenagem.

Sua vida não é inútil
É grande sua bagagem,
Revisa suas atitudes
Analisa e faz sondagem
A fim de que no amanhã
As dúvidas sejam miragem.
(2)

Minha mãe Mariazinha
É pequena do pesado,
Diante dificuldade
Deixa tristeza de lado,
Resolve os problemas, hoje
Não mergulha no passado.

Em sua vida navega,
É cheia de esperança,
Seu sorriso singular
Eterno, é de criança,
O seu coração sereno
Ilumina, é confiança.
(3)

A minha mãe Mariinha...
Ela vive o bom da vida,
Sei, não sonda o futuro
Sonha o sonho, não duvida
Ela está pra viver
Com sua força atrevida.

Ela faz da sua vida
A prazerosa viagem,
Ela faz da sua arte
Uma digna reportagem,
Ela faz da sua casa
Uma eterna hospedagem.

Mãe Zerinho, minha mãe
Aprecia um bom vinho,
É boa também de garfo
Não dispensa torresminho,
Vaidosa se balança
Logo volta pra o chazinho.
(4)

Em seu lar, o seu sossego,
Nós podemos encontrar
Em qualquer hora do dia
Mesa pra saborear,
Gostosuras que ela faz
Com abraço pra afagar.

Mãe, que o pai chamava Nêga
Em sua intimidade
Foi uma esposa presente
Na alegria e dificuldade,
De Danilo se enamorou
E em exclusividade...

Por 52 anos
Foi esposa paciente.
É cuidadosa do lar
E uma mãe excelente
Possui muitos atributos
E carinho permanente.
(5)

Ela é o bom da vida
Não vive economicamente
Gasta consigo e com todos
Faz da vida um presente
Nunca pensa em doença
Busca sempre ser contente.

Mãe Baixinha, bela mãe,
Avó e bisa zelosa,
Acompanha nossas vitórias,
Vibra e torce prazerosa,
Atenta as nossas tristezas
É muito habilidosa...
(6)

Na arte de interferir
E ao se expor com bondade,
Não mede tempo e esforço
Pra ser dar com qualidade,
Todos nós reconhecemos
Sempre age com eqüidade.

E os seus ombros são largos
Acolhem sem distinção
Sua mente é aberta
A qualquer uma geração,
Sua companhia é agradável
Em toda situação.
(7)

A minha mãe Mariquinha
Estandarte, alegria,
São grandes todos seus sonhos,
Realça a ousadia,
Apesar da sua idade
É movida a energia.

Tédio e pessimismo
Para ela não existem,
Coragem, perseverança,
Qualidades que consistem
Da sua personalidade,
É verdade, acreditem.

Assim é a minha mãe,
Minha vida e razão,
Hoje faz 80 anos!
Quem escreve de coração
É sua filha Denise
Com amor e emoção!!!
(8)

Veja aqui outra homenagem a Maria do Carmo.
............................................
Site: www.projetocordel.com.br
E-mail: literaturadecordel@bol.com.br