Mulher, Sonhos, Lutas e Conquistas!, cordel de Valentim Quaresma e Francisco Diniz.

Mulher: Sonhos, Lutas e Conquistas!
Literatura de Cordel


Autores:
Valentim Quaresma
Francisco Diniz

...............................

Houve um tempo na história
Que a mulher só sonhava,
Era submissa ao homem
E a vida inteira passava
Tendo e criando os filhos,
Porém, só isso bastava.

O machismo dominante
Dos sonhos cortava as asas,
Mulher só era objeto
Para estar dentro de casa,
Coser, cozinhar, lavar
Fazer fogo e soprar brasas.

Mas o desejo instintivo
Da sonhada liberdade,
Levou a mulher à luta
No campo e na cidade
Por uma vida mais justa,
Por direito e igualdade.
01

Em meio às dificuldades
E muitas perseguições,
Movimentos femininos
Mobilizaram ações
Defendendo suas causas
E resistindo às pressões.

E mesmo à duras penas
Vieram os resultados.
Organismos feministas
Foram logo implantados
E hoje dar pra sentir
Um trabalho edificado.

A mulher já não é mais
Aquela de antigamente,
A luta não acabou
A batalha segue em frente,
E a mulher sempre a usar
Corpo, coração e mente...
02

Temos mulheres escravas,
Pobres, mas, trabalhadoras.
Temos também, de quebra,
Deputadas e Doutoras
Astronautas, Cientistas
Artistas e até Senadoras...

Aconteceu no ano de mil
Oitocentos e cinqüenta e sete

Uma greve numa indústria
Cujos donos, cafajestes,
Queimaram muitas mulheres
Pouco ficando das vestes.

Foi no dia oito de março
Uma data inesquecível
Mulheres trabalhadoras
Não exigiam o impossível
Mas, condição de trabalho
Digna e nunca desprezível.
03

Da jornada de trabalho
Queriam a redução,
Respeito à pessoa humana,
Melhor remuneração,
Dos abusos sexuais
Queriam a extinção.

Naquela indústria têxtil
Onde elas trabalhavam
Acima de doze horas
Em cada dia passavam
Reclamando dos maus tratos
Assim mesmo se esforçavam.

Em Nova York tal indústria
Estava localizada
E lá cento e vinte nove
Mulheres foram queimadas
Por patrões que as queriam
Em condições de escravizadas.
04

A atitude desumana
Tinha que ficar na memória
E assim Clara Zetkin
Sugeriu em oratória
Transformar oito de março
Num marco da nossa história,

Em 1910
Houve o Segundo Congresso
Internacional de Mulheres
Socialistas
e, confesso
Na Dinamarca , a proposta
Foi acolhida com sucesso.

Desde então que essa data
No mundo todo é lembrada
Simbolizando uma luta
Contra a mulher discriminada,
Contra toda opressão
E por toda vitória alcançada.
05

Neste ou em qualquer dia
A mulher quer celebrar
A esperança de um mundo
Que se possa partilhar
Com o homem o mesmo direito,
Fraternidade elevar,

Bem como, a igualdade,
Qualquer tipo de projeto,
A responsabilidade,
Liberdades e o que for certo
Para ampliar as relações
E difundir o afeto.

1975
Foi ano internacional
Dedicado à mulher
,
Uma conquista magistral,
Quem declarou foi a ONU
Um feito fenomenal.
06

Isso levou os países
A fazerem uma reflexão
Da condição social
Da mulher ora em questão
Assim, algumas mudanças
Observou-se então.

08 de março é dia
Consagrado à mulher

É dia pra refletir
Sobre as lutas e até
Os maus tratos, o descaso
A quem só tem muita fé.

Mulher é o próprio saber,
A música, a harmonia,
O encanto da vaidade
Que dá prazer, dá alegria
Que dá a luz para a vida
E o mundo alumia.
07

Tem a sensibilidade,
É a pura emoção.
Conhece bem os mistérios
Que tratam do coração
É ternura, integridade
De quem sempre tem razão.

Mesmo com tantos valores
A mulher tem que lutar
Pra superar preconceitos
E respeito conquistar
Pra destruir o machismo
E sua vida melhorar.

Toda mulher tem beleza
No corpo ou no coração,
Na santidade materna
Que é a prole da paixão.
Mulher serei teu amigo,
Permita-me dar-te a mão!
FIM
08

Valentim Quaresma
Francisco Diniz

Santa Helena-PB, 08/03/1995
João Pessoa-PB, 08/03/2002
.................................................................................
Site na internet: www.projetocordel.com.br
E-mail: literaturadecordel@bol.com.br
   Oi - 83 8862-8587   /   Tim - 83 9927-1412