Ônibus Coletivo

Licença a todos amigos
Um pouco de atenção
Vimos tratar em cordel
De uma importante questão
O que se passa nos ônibus
Que é um caso de educação.

Nós somos participantes
De um trabalho escolar
É O PROJETO CORDEL,
Que visa colaborar
Com a mudança de atitudes
E com a cultura popular.

Na cidade Santa Rita
Tal projeto é realizado
No Instituto São Marcus
O cordel é estudado
E exposto a todo o mundo
Para ser valorizado.

Todo ser que pega ônibus
Deve se conscientizar,
Mostrar boa educação,
O lugar ao idoso dar
Ter mais organização,
Formar fila ao entrar.
1

A educação nos ônibus
As vezes é crucial:
Na entrada há empurra-empurra,
Principalmente faz mal
Ao idoso, à criança,
É uma bagunça geral.

Quando o ônibus tá lotado
A gente tem o dever
De dar o lugar ao idoso,
À mulher com o seu bebê,
Pois quem tem a consciência
O lugar deve ceder.

Se não houver mais cadeira
E se alguém carregar
Consigo livros, sacolas
Deveremos ajudar
Segurando as suas coisas
Pr'ele melhor viajar.

Não podemos aceitar
Criança a viajar em pé,
Vamos dar nossa cadeira,
Mostrar como é que é
Ter respeito e atenção,
Gestos que revelam fé.
2

Os motoristas deviam
Mostrar respeito primeiro
Não dando nenhum arranco,
Não andando tão ligeiro,
Pois podem até machucar
O pedestre ou passageiro.

O motorista apressado
Deverá sempre lembrar
Da vida dos passageiros,
O mal que pode causar
Para a sua própria vida
Se um acidente provocar.

Deve sempre o motorista
Ter cuidado e entender
Que ele não carrega pedra,
Mas do idoso ao bebê,
Além dos deficientes,
Para quê tanto correr?

As vezes o motorista
Olha e faz que não ver
Alguém acenar com a mão,
Assim não cumpre o dever
Que é o ônibus parar,
Isso não dá pra entender.
3

Ônibus parado no ponto,
Entra o último passageiro
Quando fecham-se as portas
O motorista bronqueiro
Mesmo vendo alguém correndo
Não pára, mas sai ligeiro.

Não devia ser assim,
Não custava aguardar
Apenas alguns segundos
Para o passageiro entrar,
Que agora um outro ônibus
Muito tempo vai esperar.

E se na velocidade
O motorista exagerar
Nós devemos corrigi-lo
Ou no mínimo reclamar
O direito à segurança,
Ele tem que respeitar.

Há gente sem educação,
Sem respeito, sem moral,
Que tenta fumar nos ônibus
Achando coisa banal,
Faz de conta que a ninguém
Está causando o mal.
4

O cigarro e a bebida
Incomodam muita gente
Nos ônibus são proibidos,
Porém há impertinente
Que não respeita a lei
Tornando-se um imprudente.

E alguns dos passageiros
Não demonstram educação,
Não têm respeito às regras,
Jogam até lixo no chão
Ou fazem muita baderna
Sem terem qualquer razão.

Todo ônibus coletivo
É pra andar em horário certo,
Mas nem sempre é cumprido,
Quem não sofreu isso de perto,
Esperando muito tempo,
Será isso correto?!

É nosso dever respeitar
Motorista e trocador,
Mas não vamos aceitar
Motorista infrator
E devemos exigir
O troco ao cobrador.
5

As vezes nós encontramos
Cobrador que é desonesto,
Que passa o troco errado,
Fingindo tá tudo certo
E diz: - estou sem moeda
Achando-se muito esperto.

Tem passageiro que diz:
- Que não há problema não,
Uma moeda somente
Pouco tem aplicação,
Esqueça este imprevisto
Por mim, não faço questão!

Contudo tem passageiro,
Que não pensa desse jeito,
Bota logo cara feia
Ou falta com o respeito,
Pode causar uma briga
Ao exigir seu direito.

É dever do estudante
Ao entrar, mostrar a carteira,
Pois paga meia passagem,
Essa lei é de primeira,
Se não fosse assim os gastos
Não seriam brincadeira.
6

Se o ônibus tivesse câmera,
Bem mais seguro seria,
Cairiam os assaltos
Durante a noite ou de dia,
Que constrangem os passageiros,
Causam medo e agonia.

Se durante um trajeto
Um assalto acontecer
É melhor não reagir,
Pois podem até ocorrer
Conseqüências lamentáveis,
O certo é se conter.

Veículo superlotado
É muito desconfortável.
Se há homem enxerido
Fica mais desagradável,
Tem gente que se esfrega
Feito bicho insaciável.

Hoje há algo importante:
Tem passe livre o idoso
A lei garante o direito,
Mas não é ainda honroso
O serviço de transporte,
Que há desconforto e é moroso.
7

Se há muitas vias de acesso
Há pouco engarrafamento,
O trânsito flui melhor
Evita-se o tormento
De pessoas estressadas
Brigando a todo momento.

Além não pagar passagem
Deve ter o deficiente
Escada especial,
O respeito dos presentes,
O povo tem que aprender
Conviver com o diferente.

Muito aumento de passagem
Entendemos o porquê,
O empresário quer ganhar,
Muito tem e mais quer ter,
Para o pobre é extorsão,
Piora o nosso viver.

Buscamos nesta mensagem
Fazer uma reflexão,
Que ela traga algum proveito
Para todo cidadão
E muito agradecemos
Pela sua atenção.
8
FIM

Alexsandra Riciane
Francisco Diniz
Jailson Henrique

Santa Rita-PB, novembro de 2005.
_________________________________________
Site: www.projetocordel.com.br
E-mail: literaturadecordel@bol.com.br